30 Maio 2020

Entretenimento

Uma mulher repreendeu uma menina que estava a desenhar na rua com giz. Ela pegou na mangueira e apagou tudo

A reacção agitada da adulta, que deixou a menina em lágrimas, provocou a rejeição de milhares na Internet. Ela não a deixou brincar e tratou-a como uma criminosa.

A quarentena afectou os nossos filhos tanto quanto nos afectou a nós. A “nova normalidade” de passar meses fechados em casa à espera que os casos de coronavírus fossem contidos e controlados obrigou jovens e velhos a usar toda a sua criatividade para sair e não morrer de aborrecimento.

E enquanto a grande maioria das pessoas gosta de qualquer forma de entretenimento nestes tempos complicados que o mundo atravessa, outras parecem ter sido consumidas pelo stress e pelos maus pensamentos que surgem em períodos de crise e descarregam na primeira pessoa que lhe aparece, quer se trate de um adulto ou de uma criança pequena.

Foi o que aconteceu a uma menina que estava a desfrutar de uma tarde de Primavera enquanto desenhava com giz no seu condomínio, quando uma vizinha a tratou como uma delinquente e fez a menina chorar enquanto ela apagava os seus desenhos com uma mangueira.

A agora chamada “calçada Susan” foi capturada em vídeo borrifando a arte do giz na calçada e gritando contra a menina como se ela tivesse matado alguém.

O vídeo mostra a agressividade e maldade da mulher, que parece não compreender que as crianças precisam de algo para fazer durante a quarentena e que desenhar com giz numa calçada é tão inocente quanto comum e não merece uma reacção tão exagerada.

A mãe da menina, que colocou as imagens no Facebook e na Reddit, diz que este infeliz acontecimento com a vizinha não é um incidente isolado e que foram repetidamente vítimas da “Susan”, que tenta reivindicar a propriedade de coisas que simplesmente não lhe pertencem e diz a outras pessoas como devem viver as suas vidas.

Depois de publicar as imagens e do colapso emocional da sua menina na Internet, a mulher foi inundada com o apoio de pessoas de todo o lado. Muitas pessoas instaram a mãe a apresentar queixa contra a vizinha, caso o assédio continuasse.

“Obrigado a todos pelas vossas amáveis palavras e pelo vosso apoio. Esta senhora tem alguns problemas connosco.

A mãe acrescentou: “Eu tento muito manter a cabeça fria, especialmente com a minha filha por perto”. Mas hoje, esta “cabra” deixou avisos na porta da rua a proibir as crianças de usarem os parques de estacionamento vazios para brincar”, disse ela.

As acções desta vizinha amargada, felizmente, não ficaram impunes. Depois de o caso ter sido publicado, a mulher foi bombardeada com centenas de mensagens de vizinhos e estranhos, censurando-a pela sua atitude e pedindo-lhe que deixasse os outros viverem as suas vidas, desenhar com giz e lidar com a quarentena da forma que eles quiserem.

%d bloggers like this: